Bookhounds of London

Uma das estruturas de campanha do RPG Rastro de Cthulhu, os Caçadores de Livros de Londres se transformou em um suplemento inteiro voltado ao tema de pessoas envolvidas com o comércio de livros ligados aos Mythos de Cthulhu.

abookhounds-of-london-150

Como tudo que Kenneth Hite escreve (ele é o autor do Rastro de Cthulhu), esse suplemento é fantástico e cheio de ideias serem usadas em Rastro de Cthulhu.

Bookhounds gira em tonro de uma campanha em que os investigadores não são heróis com boas intenções, mas livreiros londrinos tentando ganhar dinheiro com edições que não deveriam ser lidas.

Para isso, eles devem negociar com gente estranha: aristocratas sem dinheiro que não sabem que um de seus antepassados era parte de um culto misterioso e querem vender aqueles livros velhos, cultistas estrangeiros em busca de um volume misterioso em particular, ladrões de residência que não sabem que o livro que roubaram um portal para invocar uma entidade maligna para esse mundo, outros livreiros atrás do mesmo tomo maldito. E provavelmente terão de frequentar uma ou outra festa esquisita em alguma mansão misteriosa, encontro misteriosos em um clube de Cavalheiros ou pub sombrio nas ruas do East End.

Além das ocupações já sugeridas no Rastro de Cthulhu (pág. 209), Bookhounds traz novas ocupações: Book Scout, Bookseller (um antiquário especializado), Catalogue Agent, Forger e Occultist; uma nova Motivação: Cobiça; e novas habilidades, incluindo The Knowledge, que é o conhecimento das ruas de Londres [e tem esse nome por causa do teste que os taxistas londrinos tem de fazer para ganhar a licença].

Uma das boas ideias da campanha é como juntar os jogadores. Eles devem atuar ligados por uma livraria. São os donos, funcionários, olheiros ou falsificadores que atuam com um objetivo comum.

Livraria

A livraria age como uma base e uma forma de conectar os jogadores entre eles e com a história.

Na criação dos personagens os jogadores devem reservar pontos para servir para o Estoque da Livraria. Durante os jogos, esses pontos podem ser usados para Benefícios Especiais (pág. 53 do Rastro) ou permitir que eles tenham (ou saibam onde localizar) o livro certo para aquela ocasião (como se fosse uma espécie de Habilidade de Precaução/Preparadeness para a Livraria).

Em um elemento de narrativa compartilhada, os jogadores também podem criar Clientes Regulares da livraria, que podem servir como fontes de informações na história.

Dr. Jones é um Professor de Arqueologia que sempre aparece na livraria quando volta da Universidade. Ele parece se interessar muito por livros sobre o Santo Graal e não gosta de falar sobre seu filho.

A Livraria também tem um Nível de Crédito que indica o qual a aparência da loja, sua vizinhança, qual clientela irá atrair, etc.

O livro possuí um capítulo sobre leilões e compra de livros e exemplos de livros reais e imaginários de ocultismo. Ele também descreve a cidade de Londres nos anos 30, os Mythos e monstros que podem ser encontrados em uma aventura londrina.

Um capítulo descreve um sistema opcional de magia: Megapolisomancy, a magia das grandes cidades, e sugere como incorporá-la na trama. É uma magia que se alimenta das linhas e construções místicas da própria Londres e que pode ser canalizada e usada por cultos místicos. Aparentemente, existem grupos disputando a energia mística da cidade, tentando controlar os pontos em que ela se manifesta. Algumas das Igrejas construídas pelo famoso arquiteto (e também astrônomo e geômetra) Christopher Wren podem ter sido construídas para canalizar a Megapolisomancy de Londres.

book

Nas dicas para o narrador, Bookhounds sugere três estilos de campanha que não são nem o Pulp, nem o Purista, mas que são apropriados para um jogo ambientado em Londres. São eles Arabesco, Sórdido e Technicolor. Arabesco usa a ideia da Londres como caldeirão cultural, com imigrantes e viajantes de todos os lugares e perigos do Egito e da Mesopotâmia. Sórdido, como o nome já diz, enfatiza o lado criminoso e o submundo, de Jack the Ripper a Sherlock Holmes. Enquanto isso, Technicolor sugere se apropriar da imagem dos filmes de terror da, na época famosa companhia britânica Hammer, de Drácula, Lobisomem e o Médico e o Monstro.

Esses temas se aproveitam de ideias dadas pela literatura e podem ser misturados para dar o tom que se busca ao jogo. O capítulo também contém exemplos de outras livrarias que podem ser competidoras dos personagens em leilões e buscas e uma lista de npcs com uma versão para cada um dos estilos. Ainda dá dicas de como criar aventuras a partir das ideias dadas pelos próprios jogadores.

Uma longa aventura “Witechapel Black-Letter” serve como uma introdução para uma campanha de Caçadores de Livros. Por fim, um apêndice traz uma série de plantas de edificações e várias páginas com mapas detalhados de Londres e de seus bairros, uma bibliografia, lista de preços de livros raros e de livrarias da época, além de fichas para gerir os contatos e uma ficha de personagem própria para a ambientação.

mapas Bookhounds 01.jpg

Book of the Smoke

Os mapas servem também para ligar Bookhounds of London com seu suplemento (o suplemento do suplemento 🙂 Book of the Smoke – o Guia do Investigador para a Londres Oculta, um pequeno livro de bolso escrito por um ocultista Augustus Darcy com tudo o que ele aprendeu sobre Londres – locais mágicos e assombrados, figuras misteriosas, suspeitas de crimes.

O autor foi assassinado, mas o livro acabou publicado em uma pequena tiragem e adiciona contatos, rumores e pistas para os investigadores (e inspiração para os narradores).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s