World War Cthulhu: Londres

Mesmo durante a Segunda Guerra (e mais ainda nas duas décadas anteriores – o período de Chamado e Rastro de Cthulhu), Londres ainda é uma cidade dividida pela riqueza e por classes.

Os bairros da cidade podem ser divididos em 4 grandes zonas: A City (centro econômico), Westminster (centro político),  West End (bairros classe média e alta) e o East End (bairros populares, fábricas e cais do porto).

Um habitante das zonas mais nobres do West End dificilmente visitaria a região do East End, em que moram os imigrantes e operários. Já os empregados de casas e lojas chiques vindos do East End se movem todo dia para o West End e à noite voltam para suas casas nos bairros populares.

Para jogar um jogo que se passe em Londres durante a guerra, os melhores suplementos são o Bookhounds of London e o World War Cthulhu: London. Bookhounds é uma campanha magnífica para Rastro de Cthulhu. O livro, além de um cenário detalhado para uma campanha envolvendo o comércio de livros misteriosos, tem uma série de mapas de Londres na época. Já o World War Cthulhu London é um suplemento da linha descontinuada da Cublicle 7 sobre a Segunda Guerra e detalha a vida em Londres durante a Segunda Guerra.

Heart_of_London (small).jpg

The City

A parte mais antiga da cidade, local da Catedral de São Paulo, o Banco da Inglaterra e a Torre de Londres. Personagens que sejam advogados, bancários ou médicos provavelmente trabalham nessa região.

Map City of London

Catedral de Saint Paul, em Ludgate Hill
Saint_Paul.JPG
A sede do bispado de Londres e a maior e mais importante igreja da cidade. Seu enorme domo se destaca no skyline de Londres.

Lincoln’s Inn Fields

Uma grande praça, cercada por prédios elegantes. Nas proximidades da praça ficam as Cortes de Justiça e os escritórios de advogados.

Royal College of Surgeons (Lincoln’s Inn Fields)

Na faculdade de cirurgiões fica o Museu de Anatomia, com uma bizarra coleção de curiosidades humanas e animais e a segunda maior biblioteca médica da Europa.

The Tower of London
Torre_de_londres.JPG
A antiga residência real virou um museu de armas e armaduras medievais e também guarda as jóias da Coroa. Além de muitas histórias de fantasmas.

Westminster

Entre o Rio Tâmisa e Saint James Park, Westminster é o centro do Império. Lá estão o Parlamento, os escritórios do governo em Whitehall (incluindo a residência do Primeiro Ministro – 10 Downing Street), o Ministério da Guerra, o Almirantado, a Nova Scotland Yard, o Palácio de Buckingham e a Abadia de Westminster.

Funcionários civis do governo e militares são a maioria nessa zona da cidade.

Cenotaph, monumento aos mortos da Grande Guerra fica no meio da Avenida de Whitehall. Ao passar pela frente do monumento é de bom tom tirar o chapéu como uma demonstração de respeito.

Westminster.JPG

National Gallery e a Igreja de St Martin-in-the-Fields ficam na Trafalgar Square, a praça em que se destaca a Coluna de Nelson.
Trafalgar_square.JPG

A Estação de Trem e de Metrô de Charing Cross fica próxima à Trafalgar Square.

Obelisco.JPGNo cais do rio Tâmisa está o Obelisco de Cleopatra, um antigo monumento egípcio trazido do Nilo em 1878. Ele é guardado por duas esfinges de pedra.

Ao lado de Westminster, próximo ao Green Park e Hyde Park, fica Belgravia – o bairro mais rico de Londres, residência de nobres, parlamentares e da classe alta.

Entre as lojas da região de Belgravia está a Harrods (All Things for All People, Everywhere), a mais luxuosa loja de departamento do mundo e ponto de encontro dos ricos e diletantes, que adoram fazer compras e tomar chá em seu chique salão de chá.

Outros nightclubes: The Kit-Cat, The 43, the Monsignor, the Nest.

Clubes de Cavalheiros

Todo cavalheiro londrino que se preze pertence a pelo menos um clube. Um Clube de Cavalheiros oferece uma biblioteca, um salão para ler jornais e fumar um charuto, um local para encontros e conversas, um salão de jogos e um local para jantar. Os Clubes de Cavalheiros se espalham pelas proximidades de Westminster, em direção à City, próximos dos dois centros de poder do Império.

Club.JPG

Um investigador pode fazer parte de um dos clubes caso tenha um nível alto na perícia correspondente ou um nível de crédito alto o suficiente para ser convidado a se tornar um membro.

A maioria dos Clubes de Cavalheiros fica situada próximo da Saint James Square Garden, em St. James Street e Pall Mall, uma região nobre de Lodres e ao lado do centro de poder em Westminster.

United University Club é aberto para graduados de Oxford e Cambridge (mesmo que não possuam necessariamente recursos).

Clubes profissionais: Army and Navy ClubBurlington Fine Arts Club (artistas e patronos), Cavalry ClubGarrick Club (atores), Gresham Club (banqueiros), Press Club (imprensa), St. James Club (diplomatas) e o United Service Club (militares com posto de major ou acima) estão abertos para membros de suas profissões, desde que provem ser bem sucedidos.

Existem também os clubes políticos: White’s (Tory) e Brooks’s (Whig), Carlton Club (Partido Conservador), Liberal Party Club e Cobden Club (liberais).

Ideia de aventura: um patrono dos Investigadores pode ser um membro influente de um clube querendo descobrir algum segredo envolvendo outros membros e que pode prejudicar o clube.

West End

Situada entre a City e Westminster, ou seja, entre o Parlamento e o poder político, de um lado, e as Cortes de Justiça e o centro financeiro, do outro, a localização do West End é privilegiada. Por isso, políticos, funcionários do governo, advogados, empregados dos bancos e das companhias de comércio passam por lá todos os dias.

Além disso, a enorme quantidade de teatros e cinemas, além das lojas e boutiques do West End, garantem um grande movimento de pedestres. O centro cultural de Londres é a região do West End. Entre Piccadilly Circus e Covent Garden estão os principais cinemas, teatros e lojas de Londres. Esse é o lugar para se divertir e aproveitar as licenças durante a guerra.

Em Coventry Street, próxima a Leicester Square, fica o Café de Paris, a casa noturna mais famosa de Londres, cujo salão imita o interior do Titanic.

As pessoas comuns fazem compras nas inúmeras lojas da Oxford Street, em que podem ser encontradas pechinchas e novidades. Atualmente, no entanto, as vitrines das lojas estão escuras por causa do Blackout.

Em Charing Cross e na estreita Cecil Court se concentram as principais livrarias de Londres, que vendem desde livros novos e usados até antiguidades. Também podem ser encontrados nessa região vários antiquários. Essas lojas podem ser uma boa fonte de informações.

Livraria_2.JPGAlguns exemplos de livrarias londrinas (para uma lista bem mais completa, o Bookhounds of London é a fonte mais adequada):

Bookseller Endereço Especialidade
Watkins Books No. 21 Cecil Court Especializada em livros sobre o oculto e o esotérico.
E. Joseph No. 48, Charing Cross Road Dedicada a livros usados e também um antiquário.
Marks & Co No. 106, Charing Cross Road Especializada no tema da Maçonaria e no oculto, com um piso inteiro devotado a esses assuntos.
Foyles No. 113-199, Charing Cross Road Vende livros usados e novos.

Apesar da Charing Cross Road ser a via onde ficam os principais lojistas, as livrarias se estendem em direção a Covent Garden e ao British Museum.

Soho

Soho é um pequeno bairro no West End. Boa parte de seus habitantes são imigrantes italianos, franceses, suíços e de outras nacionalidades. Por isso é a região com a maior variedade de restaurantes de Londres.

Talvez por isso, Soho seja também o bairro mais boêmio de Londres. A maior parte dos grandes teatros e cinemas está aqui. Além disso, pubs, nightclubs, casas de jogo e de prostituição podem ser encontradas nas ruas estreitas do Soho.

Se o investigador for um imigrante, é bem provável que ele more no Soho. Além disso, aqui também é o local para buscar informações em pubs e casas de jogo.

Bloomsbury

British_Museum.JPG
Museu Britânico

Bloomsbury é o centro da atividade intelectual de Londres.

É um dos bairros em que reside a classe média londrina. Professores, artistas e intelectuais gostam dessa região por ser próxima das universidades.

Com largas ruas e praças agradáveis, o bairro concentra algumas das mais importantes organizações de Londres, como o British Museum, o University College e a Royal Academy of Dramatic Art, a escola de arte mais famosa do mundo.

Abaixo: um mapa do Museu Britânico. Na majestosa Sala de Leitura (Reading Room) os investigadores podem ler vários livros antigos. A Biblioteca Oriental tem textos antigos da Mesopotâmia e Egito.

British Museum Ground_floor.jpg
Museu Britânico – Térreo

O Andar superior concentra as peças gregas, egípcias e mesopotâmias trazidas pelos exploradores britânicos. Além de antiguidades das próprias ilhas britânicas.

First_floor British Museum
Museu Britânico – 1o Andar

East End

O East End originalmente começou como um pântano, ocupado à medida que a cidade se expandia. Desde a época vitoriana é o local onde ficam as indústrias e docas. Em suas ruas estreitas e casas pequenas e amontoadas vivem mais de um milhão de londrinos – incluindo 100 mil judeus e 200 mil imigrantes. O East End não mudou muito desde a época de Jack the Ripper.

Chinatown.JPGEle é formado por vários bairros. Em comum, todos são bairros pobres, de trabalhadores braçais, operários e trabalhadores do porto. Todos os bairros têm um histórico de violência e abandono.

Shoreditch: antigo centro de prostituição.
Bethnal Green: famoso pelas lutas de boxe desde o século XVIII.
Stepney: local de revoltas de trabalhadores no início do século e um bairro operário atualmente.
Limehouse: por onde ópio e cocaína entram em Londres.
Poplar: o bairro mais miserável de Londres.
Wapping: onde antigamente os piratas eram acorrentados e executados.
Whitechapel: em que ocorreram os crimes de Jack.
Isle of Dogs: a curva do rio onde ficam as docas de Londres.

Uma aventura no East End deve envolver ruas escuras (ainda mais durante a Blitz) e ameaçadoras, especialmente se o investigador veio do West End e pertence à classe média ou alta e, provavelmente, não tem costume de andar por essa região da cidade. Por sua vez, investigadores que tenham um background mais popular (trabalhadores, policiais, religiosos) ou que morem no East End terão muito mais facilidade de se locomover por essa parte da cidade sem chamar atenção.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s