Mythos Expeditions

Mythos Expeditions é um suplemento para Rastro de Cthulhu com dez expedições para os confins do mundo: desde a Mongólia até o Oceano Pacífico, passando até pela América do Sul (na região disputada entre o Paraguai e a Bolívia durante a Guerra do Chaco).

Além disso, o livro dá dicas de como construir uma aventura e até uma longa campanha que envolva expedições. O capítulo sobre expedições ainda traz uma regra de Pontos de Sobrevivência (Survival Pool) que representa de forma abstrata os suprimentos, veículos e outros equipamentos, além da moral da expedição. A Regra é relativamente complexa, mas vale muito a pena para uma campanha que envolva expedições.

Entre outros fatores que estabelecem o tamanho da pilha de Pontos de Sobrevivência, personagens acadêmicos podem usar sua Reputação Acadêmica (ver abaixo) para trazer recursos à Expedição. Não acadêmicos também podem gastar 1 ponto de Alta Sociedade ou Credit Rating (6+) para adicionar 3 pontos à expedição.

O narrador estabelece o tempo de duração da expedição (Expedition´s Tour), que é o tempo em que a expedição leva desde a sua partida até o seu retorno. Depois o divide em trechos de viagem (travel increments), que não precisam ter a mesma duração. Ex: em uma expedição no deserto para achar a mística cidade de Zerzura, a expedição é planejada em Londres, mas começa realmente a partir do Cairo, na costa do Egito. O primeiro incremento pode ser a subida no Rio Nilo até as cataratas, o segundo o avançar pelo deserto até as montanhas, etc… Cada incremento é um intervalo dramático.

Cada incremento pode ter:

  • uma descrição do território que a expedição está atravessando;
  • o gasto de Pontos de Sobrevivência;
  • pelo menos uma cena relacionada ao mistério central, uma subtrama ou uma cena de viagem – que pode envolver um teste de Sobrevivência.

Outro capítulo liga as expedições com o modelo de campanha “The Armitage Inquiry”, do livro básico de Rastro. Dicas de como integrar personagens com outras ocupações além de professor, cientista ou arqueólogo à expedição; desde um artista contratado para ilustrar as descobertas e paisagens até um militar ou médico contratado para ajudar os pesquisadores, passando por um diletante que está ali apenas porque é rico ou conhece os financiadores da expedição.

O capítulo sugere outras opções além da Miskatonic. Uma interessante é a “Indagácion de los Seres Exoticas”, em que a campanha se centra no Museu de Etnografia da Universidade de Buenos Aires, em uma década em que a Argentina é governada por militares que querem usar o conhecimento do Mythos no estilo da Ahnenerbe alemã.

Algo bem interessante para a campanha baseada em uma universidade é de como usar as habilidades interpessoais para diferenciar os personagens acadêmicos. Ex: um professor com Intimidação 0 é um cara legal que os alunos gostam porque é bonzinho, enquanto um com Intimidação 3 é o terror da faculdade.

Uma habilidade especial chamada Reputação Acadêmica pode ser usada por personagens professores e alunos. Reputação Acadêmica não pode ser comprada inicialmente. Ela é a soma da “Habilidade Acadêmica mais alta” com o “Credit Rating”. Obviamente, Ocultismo e Cthulhu Mythos não contam (afinal um professor conhecido por acreditar em bruxas ou em deuses vindos do espaço não teria uma boa reputação), enquanto Astronomia e Química podem servir como habilidades acadêmicas nesse caso específico.

As dez expedições do livro são as seguintes:

ExpediçãoLocal
The Dwellers in the DunesMongólia, em um período de conflitos na Ásia Central.
The Mother of MalariaRhodesia, no sul da África.
Lost on a Sea of DreamsUm barco no Triângulo das Bermudas.
An Incident at the BorderParaguai, durante a Guerra do Chaco, entre o Paraguai e a Bolívia.
The Jaguars of El-TharUma expedição às ruínas maias da Península de Yacután, México.
Tongued by FireUma viagem ao Punjab, na Índia.
Served ColdInvestigando misteriosos assassinatos de uma expedição à Groelândia.
Whistle and I´ll ComeNova Guiné e canibais – uma aventura bem Pulp.
A Load of BlarneyIrlanda e seu passado místico.
Cerulean HaloClipperton Island, no Pacífico e uma viagem com o Presidente Roosevelt, em 1938.

Mythos Expeditions é organizado como uma coleção de cenários e não como uma campanha. A sugestão é usar as expedições de forma espaçada durante uma longa campanha que envolva outros tipos de mistérios ou como one-shots. Elas estão sugeridas em ordem cronológica. 

O livro é muito bem feito, como todo o material da Pelgrane Press. Os capítulos com a regra para expedições e dando dicas de como integrar a campanha com o cenário da Universidade Miskatonic são muito bons. 

A maioria dos capítulos das expedições não têm muitos handouts. Por outro lado, todos os npcs principais tem retratos – o que é muito bom. O estilo dos mapas é bem interessante. Eles lembram os mapas de Indiana Jones e dão um aspecto Pulp ao cenário.

Aliás, os filmes de Indy são uma boa inspiração para o que seria uma aventura baseada nesse estilo, misturado com o conto de Lovecraft As Montanhas da Loucura.

As expedições são bem variadas. Apesar disso, para evitar o cansaço do mesmo tipo de aventura, o ideal é seguir a sugestão do livro e intercalar as expedições com outras aventuras. As expedições também podem servir para one-shots ou aventuras curtas com apenas algumas sessões.

Aqui não tem escapatória. O estilo para jogar os cenários de Mythos Expeditions é Pulp mesmo. 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s