Bookhounds of London: Os Sete Livros da Escuridão

30 de Setembro de 1938

Chove em Londres enquanto Brandon Smith salta do metro em Westminster e caminha pela Whitehall em direção à Cecil Court. Na esquina em frente ao prédio do Ministério da Guerra um pequeno jornaleiro grita: “Paz!”. Brandon Smith compra do garoto uma edição do Times, com a capa “A Guerra é Evitada!”. Os jornais comemoram a paz e o Acordo de Munique, entre o Primeiro-Ministro Chamberlein, Hitler e Mussolini. Uma mulher passa por Brandon e o jornaleiro e comenta aliviada: “Viva o Primeiro Ministro! Não teremos guerra nunca mais!”.

Após caminhar na fina chuva, ele chega até a Pearce & Sons, uma das pequenas livrarias de usados em Cecil Court. Stanley Pearce, o proprietário, o repreende pelo atraso.

Logo depois, uma jovem estudante entra na livraria, procurando por uma edição do Ramo de Ouro (Golden Bough), de Sir George Frazer. Ele negocia uma velha edição usada por três libras e vende também uma capa para proteger o livro da chuva.

Quando a jovem está saindo, um mensageiro entra na loja, trazendo uma carta para o Sr. Pearce. Brandon, ao ver que seu patrão não deu uma gorjeta ao garoto, lhe entrega um pence. O menino sai falando “Velho pão-duro!”.

O convite é para o Pimander Club, em Saint James Street. Ele é assinado por Sir Johnstone Dives. Pearce resolve levar Smith como segurança. O resto do dia é quieto e após fechar a loja, Pearce e Smith seguem para o clube.

Jantar em Pimander Club

O Pimander Club fica em Belgravia, em uma casa chique de três andares. Apresentando o convite, eles entram, sob o olhar reprovador do porteiro bem vestido. Lá dentro, um funcionário pede que eles esperem Sir Dives na sala de leitura e serve uma taça de brandy para os dois.

Quando Johnstone Dives chega, os três vão para a sala de jantar. Durante o jantar, Dives – que tem um forte sotaque sul-africano – mostra um jornal de dois dias antes, com a notícia do falecimento do Coronel Richard Clarkson. O obituário diz que o coronel Clarkson serviu com distinção na África do Sul, Austrália, Hong Kong, Xangai e Burma.

Dives diz que conhecia o coronel e que ele tinha uma grande biblioteca. Enquanto servia na embaixada em Xangai, o coronel teria adquirido uma edição de um livro muito especial – Os Sete Livros Crípticos de Hsan. Uma tradução de uma edição ainda mais valiosa chinesa chamada Os Sete Livros Escritos na Escuridão.

Dives diz que já ouviu falar bem do Sr. Pearce e que sabe que ele conhece várias línguas, entre elas o mandarim. O sul-africano gostaria que o Sr. Pearce fosse até a propriedade do Coronel Clarkson, descobrisse se realmente o coronel possuía uma edição do livro e se ela era verdadeira. Se confirmasse, Dives estaria disposto a pagar bem pela aquisição do livro. Ele oferece uma verba generosa para a aquisição. Pelo acordo, se Pearce e Smith descobrissem outros livros interessantes, poderiam adquiri-los.

Respondendo à perguntas indiscretas de Brandon, Dives conta que a família Clarkson está endividada, pois a propriedade tem dado prejuízo nos últimos anos. E que o filho do coronel é um gastador e também tem várias dívidas. Ele acha que a família pode aceitar vender os livros.

Um passeio à Devonshire

No dia seguinte, Pearce e Smith pegam o trem na Estação de Paddington para Devonshire, na Cornualha.

Saltando na estação em Devon, eles pegam uma velha carruagem puxada por cavalos até a propriedade do Coronel Clarkson. O jovem cocheiro comenta sobre a triste morte do coronel.

Na propriedade, eles conversam com a viúva, Lady Madelaine Clarkson, e com os filhos desta, Edward e Mary e com o noivo da Srta. Clarkson, o banqueiro londrino Lewis Lawrence. Pearce pede para examinar a biblioteca. Acompanhados da família, eles olham a bela biblioteca, com várias estantes cheias de livros e onde o coronel mais gostava de passar seu tempo. A filha comenta que seu pai não gostava que ninguém entrasse na biblioteca e eles pouco vieram ali naqueles anos todos.

Em meio as estantes, Pearce localiza a edição do livro chinês buscada por Johnstone Dives. E para sua surpresa descobre ao seu lado uma edição em mandarim ainda mais antiga da obra. Ch´i Pen Shu Hsie Le Tsui-An – Os Sete Livros Escritos na Escuridão. O original a partir do qual teria sido traduzido a versão mais nova.

Enquanto estava na biblioteca, Brandon encontra um outro livro valioso – The Lost City of Alaozar, de Eric Marsh. Ele informa a Pearce. Os demais livros da biblioteca parecem ser comuns ou de muito menor valor. Pearce pega a edição traduzida dos Sete Livros da Escuridão, deixando a outra chinesa na biblioteca e volta para a sala de estar para conversar com a viúva e os filhos. Ele propõe pagar por esse livro e pelo resto da biblioteca.

Edward, o filho do coronel, diz que um amigo o apresentou ao Sr. Colin Ballard e que este também está interessado em adquirir os livros. Pearce conhece Ballard – um rival dono da Ballard & Sons. Ele tenta convecer a viúva a vender para ele – um verdadeiro amante de livros – do que para Ballard – que só busca o lucro. Pearce e Smith também tentam convecer que um leilão pode acabar não rendendo muito mais, e tem outros custos, pois a maior parte do acervo tem pouco valor. A viúva fica inclinada a concordar em vender logo tudo e se livrar das más lembranças, mas o filho se opõe.

Começa a chover bastante. A viúva os convida a passar a noite na propriedade, para discutirem melhor com a chegada do Sr. Ballard, no dia seguinte. Eles são levados pela serviçal Srta. Daisy até os aposentos – um quarto de hospédes para o Sr. Pearce e um quarto na ala dos serviçais, no topo da casa, para o Sr. Smith.

Noite Chuvosa em Devonshire

Depois disso eles retornam e jantam. Lá fora continua a chover e ventar muito, com trovões caindo. Durante a noite, Pearce aproveita para ler trechos do Sete Livros Crípticos de Hsan, que ele trouxe consigo para o quarto. Ele fica incomodado com as menções ao platô de Leng e à cidade perdida de R´lyeh. Uma batida na porta o assusta, mas é apenas Smith.

Esse conta que a serviçal Daisy disse a ele que o coronel estava nervoso nos dias anteriores, após receber uma carta em uma língua estranha e que ele quase não saía mais da propriedade, passando a maior parte do tempo trancado na biblioteca. Diz também que ele foi encontrado morto lá, duas noites atrás, com o olhar esbugalhado e as mãos contorcidas. Brandon conta que conseguiu convencê-la a irem até a biblioteca, procurar a tal carta na gaveta, e trouxe a carta para Pearce ler – já que este sabe mandarim.

A carta está em mandarim. É uma ameaça ao coronel, para que ele devolva o livro roubado, ou – quem escreveu a carta – irá buscá-lo por mal. Pearce fica preocupado e sugere que eles têm agora um outro problema, pois mais alguém parece estar atrás do livro – e sabe do original chinês – e talvez tenham assassinado o coronel por ele – ou assustado tanto o velho homem que este morreu do coração. Agora eles não podem esperar por um leilão que iria atrair ainda mais atenção.

Brandon entende a sugestão de seu chefe e diz para esse esperar o sinal. Ele volta até a biblioteca, pega os dois livros – A Cidade Perdida de Alaozar e o original em chinês dos Sete Livros da Escuridão. Depois abre a janela. Lá fora continua a relampejar. Brandon acende uma pequena chama e saí da biblioteca, voltando a seu quarto no sotão.

Pearce não aguenta esperar. Ele sente o cheiro de queimado e saí correndo gritando “Fogo! Fogo!”. As pessoas se levantam assustadas e saem da casa. Alguns serviçais ainda tentam apagar o fogo, mas é impossível, ele já se espalhou pela biblioteca e começa a consumir a casa.

Lá fora, todos saem, mas outra das serviçais grita que Daisy ficou lá dentro. Brandon corre para a casa em chamas e consegue achar a jovem desmaiada no segundo andar. Ele a carrega e retira da propriedade.

O dia já amanhece, quando o corpo de bombeiros voluntários chega, mas não consegue salvar o prédio. Pearce oferece pagar pelo último livro que teria sobrado da biblioteca, a tradução chinesa, como forma de ajudar a viúva. Brandon faz com que Pearce ofereça 50 libras pelo livro. Desolada, ela aceita.

Eles pegam de novo a carruagem para voltar à Londres e entregar a tradução ao Sr. Johnstone Dives. Na estação encontram o Sr. Colin Ballard, que acabou de chegar. Pearce e Smith comprimentam Ballard e embarcam no trem.

O velho trem se afasta do condado de Devonshire.


Livros adquiridos:

TítuloDescrição
Ch´i Pen Shu Hsie Le Tsui-An “Sete Livros Escritos na Escuridão”, atribuído a Hsan, o Grande. Edição chinesa – em mandarim – do séc. XVI. Transcrição de uma versão do século III, escrita na época dos três reinos.
Seven Cryptical Books of Earthtambém conhecida como “Sete Livros Crípticos de Hsan” ou “Poliglota Hsan”. Edição em francês, inglês e russo, 1920, Shangai. -Editor anônimo.
The Lost City of Alazoar de Eric Marsh. Descrição de uma expedição às selvas de Burma, a Expedição Hawks (1905). O autor foi o único sobrevivente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s