Jornada em Rokugan: Reencontro em Toshi Ranbo

Pouco mais de um ano atrás, o velho Imperador, Hantei XXXV, alcunhado de Hantei, o Bondoso, morreu após um longo reinado de trinta anos. O ano da morte do Imperador é lembrado pelo verão extremamente quente e um outono chuvoso, em que os camponeses dizem que os kamis lamentavam a morte do velho Imperador.


Dois anos se passaram desde o Torneio de Topázio. O vencedor do torneio, Shinjo Inyou, foi convidado a ser um Magistrado Esmeralda. Após treinar por um ano no Castelo do Campeão Esmeralda, Doji Osuno, ele foi enviado para a Capital Imperial, a magnífica cidade de Otosan Uchi, para continuar seu treinamento como aprendiz de Doji Murashige, um experiente Magistrado Esmeralda.


Enquanto isso, os outros participantes do torneio, Hida Nori, Hiruma Kyuzo e Mirumoto Ashitaka passaram os dois anos depois do torneio servindo na Terceira Legião Imperial, em Toshi Ranbo, sob o comando do general Akodo Mitsuo.


A Cerimônia de Chá

No último inverno, a Corte de Inverno foi sediada em Kyuden Bayushi. Foi um inverno longo e frio. O ano-novo foi quieto em uma capital imperial sem a sua corte, mas pelo menos o inverno havia acabado.

Depois de estudarem os casos existentes, Doji Murashige e Shinjo Inyou vão para a casa de Isawa Akinori, Conselheiro Imperial e amigo de Doji. Lá está também Ikoma Ikehata, Tesoureiro Imperial. Os quatro participam de uma cerimônia de chá conduzida com maestria por Isawa. Após relaxarem, eles seguem para a varanda da casa do Conselheiro e conversam.

Shinjo estranha que não há ninguém na casa de Isawa, até mesmo a serviçal que os recebeu no portão parece ter se recolhido. Ele percebe que os três samurais mais velhos conversam entre eles sobre algum assunto que ele próprio não capta [os samurais usam o Shuji Cadence]. Ele pede licença para olhar o jardim e examina a área discretamente.

O mercador misterioso

Quando a reunião acaba, ele acompanha seu mestre até o Palácio dos Magistrados Esmeralda e depois segue para uma respeitável casa de chá beber um pouco de saquê. É interrompido por um mercador, Tadoro, que diz que viu um roubo ali próximo.

Ele percebe que o mercador está mentindo, mas finge acreditar e o acompanha. Fora da casa de chá ele arrasta o mercador para um beco e o intimida. Tadoro diz que dois homens de roupas coloridas o pagaram para atrair Shinjo. Ele descreve os dois: “um tinha um dedo a menos” e o outro era “gordo e grande”. Ele solta o homem e volta para o Palácio dos Magistrados.

No dia seguinte, Shinjo inquire os guardas dos portões, perguntando se viram alguém com um dedo a menos. Um dos guardas do Portão do Porto se lembra de ter visto um trio mau-encarado passando pelo portão (o terceiro mau-encarado bate com a imagem de Tadoro). Shinjo continua a seguir a pista, acompanhado de dois doshins – assistentes dos Magistrados – e descobre que o trio pegou um pequeno barco que ia para o Porto da Maré Lenta (Taimana Choryū), território do Clã menor da Tartaruga.

Falando com Doji Murashige, este diz que o porto está fora de sua área e escreve uma carta para o Magistrado Esmeralda do Porto da Maré Lenta, Bayushi Takeda, inquirindo sobre os suspeitos.

Nova missão

Dois dias depois, enquanto ainda espera pela resposta do Magistrado do Porto da Maré Lenta, Shinjo é surpreendido pela volta de Miya Suzuki, que estava na Corte de Inverno.

Ela diz que se ofereceu para entregar algumas mensagens no Palácio dos Magistrados Esmeralda, para rever Shinjo. Este a leva até Doji Murashige, que lê as cartas.

Ele informa a Shinjo que este deve partir para Khanbulak, para ajudar a resolver uma questão local. Deve se reportar ao Magistrado Esmeralda Kitsuki Watanabe, na Cidade do Sapo Rico. E no caminho deve requerer uma escolta imperial na guarnição de Toshi Ranbo.

Shinjo diz que tem alguns samurais que conheceu no Torneio de Topázio e que são de confiança e pede para que eles sejam designados para a escolta. Doji Murashige concorda. Ele escreve as ordens e permissões de viagens e as entrega à Shinjo.


Descansando na Casa de Chá

Em Toshi Ranbo, os dois caranguejos, Hida e Hiruma, bebem saquê em uma Casa de Chá junto com outros samurais da legião: Akodo Kentai, Matsu Sanada e Shiba Takashi. Os samurais apostam no jogo de dados. Embora a sorte inicialmente esteja com Shiba, no final Hida ganha no jogo de dados.

Hiruma resolve alimentar seu cachorro, Shisei. Ele escuta uma conversa sobre uma jovem ferida que um mercador encontrou no sul. O mercador, Tadehiro, descreve uma mulher que parece com a irmã de Hiruma. Ele diz que a encontrou na estrada perto da vila de Somegashi e que a levou até a Vila de Água Limpa (Sunda Mizu Mura). Hiruma fica curioso e pergunta onde o mercador está hospedado, marcando para visitá-lo no dia seguinte e saber mais sobre o assunto.

Justiça Samurai

Entretanto, no dia seguinte eles recebem ordens de patrulhar a região da fronteira com o clã Dragão, por causa de notícias sobre bandidos escondidos nas montanhas. Eles partem em direção ao norte e chegam a um vilarejo onde vacas foram roubadas dois dias antes. Hiruma acha a trilha dos ladrões e eles a seguem até as montanhas. Hiruma, Hida e Shiba Takashi vão na frente, seguidos alguns quilômetros depois pelo gunsô Ikoma Arata e uma unidade de ashigaru.

Ao chegarem no pé das montanhas, eles percebem que estão sendo observados do alto de um penhasco. Os dois caranguejos conseguem escalar e descobrem dois camponeses que tentam fugir ao ver os samurais. Hida corta o caminho de fuga deles. Os camponeses então atacam os samurais. Hiruma mata um deles e o outro é derrubado por Hida, que o interroga. Ele confessa que roubaram as vacas, pois os habitantes de sua vila estavam com fome.

O camponês, quando ameaçado, repete o mantra “soshi no kie” (“devoção ao Pequeno Professor”). Hiruma lembra de já ter ouvido no ano anterior esse mantra. Shiba chega e diz que esse é o mantra da Seita da Terra Perfeita, um grupo herege e proibido nas terras da Fênix. O samurai da Fênix quer matar o camponês.

Hida convence os outros dois samurais a deixarem que ele vá até a aldeia com o camponês capturado, para recuperar os animais roubados e convencer o ancião da aldeia a se render antes da chegada do resto da patrulha.

O ancião, Satoshi, é convencido por Hida a se entregar, para poupar o resto da aldeia e a convencer os outros aldeões a não fazerem nada. Ele solta o camponês que capturou e retorna com as duas vacas e o chefe da aldeia. Hida tenta convencer o gunsô a apenas cortar a mão dele, mas Ikoma decide dar um exemplo e ordena que Satoshi seja morto. Hida então se oferece para fazer a execução.

Tudo parece resolvido, mas Hida, sem querer, menciona que eram três ladrõea. Ikoma, considerando que apenas dois foram encontrados e mortos, ordena que os soldados queimem o estábulo da aldeia, para puni-la pelo bandido que escapou.

Reencontro de Velhos Amigos

Ao voltarem à guarnição imperial em Toshi Ranbo, eles são informados por Akodo Kentai que um amigo está esperando por eles. Quando chegam na sua tenda encontram Shinjo Inyou.

Eles vão até a Casa de Chá e colocam a conversa em dia, falando sobre os acontecimentos dos últimos dois anos. Shinjo diz que recebeu uma missão de ir para Khanbulak e que eles serão sua escolta.

No dia seguinte, eles se preparam para a primeira etapa da viagem, até a Cidade do Sapo Rico, na fronteira do Leão com o território do clã Unicórnio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s