The Armitage Files IV – A Fábrica em Arkham

O terceiro documento misterioso foi encontrado na residência da Sra. Sarah Collins. O Sr. Collins não sabe como sua esposa conseguiu o documento. Mais uma vez, a letra é inquestionavelmente a minha, no entanto, não me lembro de tê-lo escrito ou saber algo dos fatos lá narrados.

Professor Armitage

A Fábrica

Uma das anotações no terceiro documento falava de uma fábrica onde o investigador Hugues teria sido morto… decapitado. Um foto, dentro do envelope da carta, mostrava as chaminés em meio ao nevoeiro de um prédio que lembrava a silhueta de uma das fábricas na beira do Rio Arkham: a fábrica das Indústrias Químicas Kitrell.

A ligação com outra das pistas mencionadas no primeiro documento – o nome de Austin Kitrell, o rico herdeiro da família – salta aos olhos. Os outros investigadores resolveram começar sua busca por lá.

Ao chegarem, encontraram um grupo de trabalhadores que protestava em frente a fábrica. Dois deles – Jimmy O ´Neil e Wally Endore – tentaram convencer Liam O ´Gara e Mark Blackburn a se juntar a eles, tomando-os por operários. Eles contaram que alguns operários moreram em acidentes na fábrica no ano passado. Jimmy, Douglas e um italiano que morreram na fábrica. Perguntados sobre outros fatos estranhos, eles mencionarem que alguns operários desapareceram, mas atribuíam isso a terem sido demitidos pelos patrões.

O Agente Cooper e o Sr. Hughues entraram na fábrica e procuraram o Diretor, Jonas Wilson. Esse os levou para um passeio pelas instalações. Eles acharam um armazém abandonado próximo à linha do trem. Segundo o diretor, houve um terrível incêndio em 1929, em que vários operários morreram. O armazém estaria abandonado desde então. Os dois investigadores entraram no armazém. Conforme o Sr. Hughes, uma peça afiada de um das máquinas caiu do segundo andar e quase o acertou. Hughes encontrou pistas que mostravam que o incêndio não foi um acidente, mas provocado.

Lá fora, perto do armazém, localizaram um poço, com um cheiro fétido que saia dele. Eles chamaram os bombeiros que desceram no poço e descobriram os restos de 13 homens mortos.

Segundo o legista, as mortes aconteceram em períodos diferentes e espaçados. Os corpos mostravam marcas estranhas de queimaduras. E também marcas de mordidas de ratazanas – “marcas de um rato muito grande, quase do tamanho de um humano”.

A Pensão Callahan

Observando as ruas próximas à fábrica, eles descobriram uma pensão que bate com a descrição constante no documento – a Pensão Callahan. Ela fica próxima a um restaurante chinês.

Voltando lá no dia seguinte, eles entrevistaram a dona. A Sra. Wilmer Callahan (citada no documento 3). Entretanto, ela não tem conhecimento nenhum sobre os fatos ali narrados, apenas que o operário Will Moran aluga um quarto na sua pensão. O agente Cooper diz que ela estava falando a verdade.

Eles também entrevistaram o operário, Will Moran (outro com o nome citado no documento), que disse não ter presenciado nenhuma morte na fábrica ou conhecer nenhum Hughes (detalhe: ele também não reconheceu o nosso Sr. Hughes). Liam deixou o telefone do jornal em que trabalha para contato se Moran souber de algo estranho.

A pista aqui parece ter dado em nada, até agora.

O Quarto Documento e a lista de mortes

Um quarto documento foi recuperado entre as coisas da Sra. Collins que estavam no Sanatório, após o agente Cooper conseguir um mandado de busca e apreensão com o juiz federal.

Ele menciona as mortes de conhecidos: a viúva Pickman, o Dr. Peaslee e o Dr. Freeborn – ambos membros de nosso pequeno grupo de confiança. O Dr. Freeborn está atualmente na Inglaterra para uma série de conferências na Universidade de Oxford.

Uma teoria estranha

Após ler o quarto documento, o Sr. Liam chegou a uma teoria estranha… ele acha que o documento foi escrito em março de 1936… ou seja, no ano que vem – já que estamos em outubro de 1935. Segundo ele, o documento foi escrito três anos após a morte de Wakeling e este morreu a pouco mais de dois anos.

A Bíblia de Dagon

Barry Mayfar continua a ler o livro encontrado em Innsmouth, segundo o Sr. Blackburn me disse.

Liguei para ele duas noites atrás e ele disse que estava tudo bem. Que o livro tinha informações valiosas e que logo iria me contar as novidades. Falou algo sobre um ritual que o livro mencionava e que estava aprendendo muito sobre o culto da Ordem Esotérica de Dagon e suas origens.

Estou preocupado com meu ex-aluno. A leitura desses tomos muitas vezes tem consequências terríveis para nossa sanidade. Senti um certo toque de loucura em sua voz que não havia notado antes… ou pode ser apenas minha impressão.

Observações

Curiosamente, Mark…o Sr. Blackburn parece evitar entrar na biblioteca. Outro dia o peguei no jardim olhando assustado na direção do prédio da biblioteca Orne.

Austin Kitrell mandou o seu motorista até o bar de Hugues saber quando será o jogo de poker para o qual havia sido convidado durante sua festa.

O professor Peaslee foi convidado para ingressar na Sociedade da Pesquisa Sincrética, segundo Mark ouviu. Devo falar com ele e mandar que ele pare com nosso plano de se infiltrar na sociedade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s