Jornada em Rokugan: Coragem e Vingança

Séculos atrás, dois irmãos Hida e um camponês enfrentaram um poderoso oni. O oni foi vencido. Um dos irmãos, Hida Takeuchi, ganhou a honra de fundar sua própria família vassala. O camponês recebeu de presente as terras na Montanha do Crepúsculo para ele e seus descendentes. Entretanto, o segundo irmão, Hida Takenori – aquele que fugira durante o combate – foi esquecido e apagado das histórias.

Mas ele fugiu para as Terras Sombrias e lá jurou fidelidade à Fu Leng. Sempre esperando por uma chance de vingança, acreditando que sua honra havia sido manchada por seu irmão e pelo camponês. Jurando vingança sobre os descendentes destes. Sua vingança cruzou o caminho de um grupo de samurais…

Ato 3: Hora do Rato

Hida Nori vê um movimento na neve e descobre uma das crianças da vila, Gorei. Ele conta como seus outros dois amigos foram pegos pelos goblins no estábulo, enquanto observavam a luta no portão.

Um dos goblins oferece mais uma vez a opção de rendição aos samurais. Hida o segura pelo pescoço e ele confessa que as crianças foram capturadas e que seu senhor as prendeu.

Observando do alto de um dos postes da aldeia, Shika Benkei consegue ver o ogre e alguns goblins no meio da plantação na beira da estrada, logo além da ponte.

Eles resolvem tentar resgatar as crianças e matar o ogre, dividindo suas forças. Enquanto o Magistrado e Shika Benkei fingem aceitar o encontro com Takenori, os demais atacam na ponte, com o objetivo de matar o ogre e atrair a atenção dos inimigos. Assim, Shinjo e Benkei teriam uma chance de resgatar as crianças.

Se aproveitando da nevasca, o grupo principal sai pelo pequeno portão dos porcos e se dirige em direção à ponte. Eles conseguem se aproximar sem serem vistos.

As árvores mortas

O Magistrado e Benkei saem pelo portão principal e logo são cercados por vários goblins. Eles o escoltam até o outro lado do rio, para as cabanas onde viviam os eta. Entretanto as crianças não estão lá. Os dois samurais conseguem provocar o samurai corrompido das Terras Sombrias, demonstrando ter descoberto o nome verdadeiro dele – Takenori, o irmão do primeiro Takeuchi.

Um movimento de Takenori faz com que eles suspeitem que as crianças estão presas no círculo de árvores mortas próximo. Ao escutarem os gritos dos goblins e do ogre marcando o início do combate na ponte, Shika usa sua lança para levantar fagulhas e fumaça e distrair Takenori e os goblins.

Eles correm em direção às árvores mortas, sendo perseguidos por Takenori e os goblins. As duas crianças estão presas em gaiolas de madeiras suspensas nos galhos das árvores. Os goblins os seguem até quase entrar no círculo de pedras, mas interrompem a perseguição.

Quando Shinjo entra no círculo de pedras, ele não percebe que acima dele, entre os galhos secos das árvores, está um oni aranha, que o ataca. A pata do oni atravessa sua armadura e abre uma ferida profunda. Shika consegue atingir o oni com sua lança, fazendo com que ele caia. Ele aproveita a chance para abrir uma das gaiolas e mandar a criança pular e correr.

Shikage no Oni

O oni se levanta rapidamente, mas Shika o distraí, permitindo que o magistrado solte a outra criança. Eles conseguem escapar de volta ao rio, embora a criatura acerte o magistrado de raspão. A criatura não os segue além do círculo de pedras.

Duelo na Ponte

Aproveitando a nevasca que os esconde dos inimigos, Hida, Kitsu e Kono se aproximam da ponte. Eles discutem como atrair o ogre e separa-lo dos goblins para que possam matar o monstro maior e mais perigoso.

Kitsu Shin faz uma prece ao kami da água, pedindo mais uma vez que ele o ouça e troque de lugar entre ele e o ogre. Sua prece é bem sucedida e o ogre aparece ao lado do moinho, enquanto Kitsu toma seu lugar, no meio da plantação, para surpresa dos goblins. Kitsu corre em direção a estrada, atraindo a atenção dos goblins que o perseguem, mas o samurai do Leão invoca seus ancestrais e corre mais que os pequenos monstros.

Kono ataca o ogre, que ainda está surpreso por ter aparecido do outro lado do rio. Apesar de surpreso o ogre atinge de raspão o ronin, que pula para o lado a tempo de evitar o pior do golpe, mas fica tonto. Por sorte a atenção do ogre é desviada por Nori e por Setsuka. O golpe de Setsuka fere o ogre. Esse faz um último esforço para atingir Nori, mas morre logo depois.

Nesse momento reforços dos goblins chegam, liderados pelo amaldiçoado cadáver de Takeuchi Yorishige. O Morto-Vivo avança em direção à ponte, montado em seu onikage. Com seu enorme machado, ele atinge Hida, que se postou no meio da ponte. Hida Nori, como um bastião, se defende. Mas a força dos golpes do serviçal das Terras Sombrias vai solapando sua resistência. Até o cavalo morto-vivo ataca o Caranguejo, tentando mordê-lo. Os goblins, reagrupados, disparam uma chuva de flechas sobre os samurais. Do meio dos goblins, um xamã lança uma maldição contra Nori. A situação fica tensa.

Do outro lado do rio, o grupo escuta o barulho de cavalos e metal. E do meio da neve, surge uma tropa de cavaleiros Takeuchi, avançando contra os desorganizados goblins que seguiam Kitsu.

Kono arremessa sua katana em direção ao morto-vivo. A espada fica cravada na armadura da criatura. Atrás do ronin, Setsuka abençoa sua katana e a joga para Kono, que novamente a lança contra o amaldiçoado capitão da Terra Sombria. Dessa vez a espada se crava entre os olhos do morto vivo e este desaba de seu cavalo.

Akane dispara uma flecha em meio aos goblins, acertando o xamã na garganta. Esse caí morto. Ao verem o capitão morto-vivo e o xamã caírem, o resto dos goblins perde a coragem e foge.

Takenori, o Perdido, ao ver suas hordas fugirem, gira seu cavalo e também foge, mais uma vez.

Epílogo

Todos se reúnem na aldeia para conversar. Takeuchi Saiko se mostra preocupada com a ferida grave do magistrado. Os demais estão apenas cansados pela longa luta.

Takeuchi Kagenori conta como o mensageiro Hiruma Eisho chegou ao castelo com a notícia do ataque das Terras Sombrias à aldeia e de como o Magistrado havia ordenado a evacuação da aldeia e ficado lá com alguns poucos samurais para resistir ao avanço inimigo.

Não podendo deixar um Magistrado Imperial para trás, o herdeiro dos Takeuchi reuniu todos os cavalos do castelo e partiu. O comandante das tropas partiu com uma companhia de lanceiros pouco depois. No meio da noite, eles encontraram os refugiados. Deixando uma ordem para que a companhia a pé protegesse sua retirada, o pequeno grupo a cavalo avançou para resgatar o Magistrado.

Takeuchi Kagenori faz uma reverência e agradece pela ação dos samurais e por eles terem destruído o morto-vivo que era seu irmão. Ele diz que, ao voltarem ao castelo, o administrador Kaiu Yusiji deverá praticar o sepukku por suas ações gananciosas em busca de dinheiro – embora com a boa intenção de servir para a proteção da Muralha – terem permitido que a mina fosse reaberta.

Patrulhas mostram que os goblins se dispersaram e fugiram para as Montanhas do Crepúsculo. Nenhum sinal de Tekenori, o Perdido, foi visto. Após alguns dias de descanso, o grupo retorna ao castelo.

Na próxima temporada: Intrigas na Corte de Inverno.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s