Jornada em Rokugan: Cidade do Sapo Rico

O Magistrado Esmeralda e seus yojimbos chegam a Cidade do Sapo Rico. A cidade fica no encontro de dois rios e na fronteira entre os territórios de três dos Grandes Clãs de Rokugan. A margem sul do Rio do Pequeno Comércio é controlada pelo Leão, enquanto o Norte é território do Dragão. Do outro lado do rio começa o vasto território do Clã Unicórnio.

O mercador Tanaka os deixa na zona da cidade sob o controle do clã Leão. Kitsu Shin se oferece para providenciar os ritos para os marujos mortos no ataque dos piratas. Hida Nori e Mirumoto Ashikaga acompanham o mercador até o porto do outro lado do rio, no bairro do Unicórnio, para supervisionar o descarregamento da carga e dos prisioneiros.

Após se apresentar ao comandante da guarnição militar do Leão, Akodo Satai, o magistrado Shinjo Inyou é informado de que a residência do governador imperial fica na ilha do salgueiro sagrado Saibanshoki. Ele e Hiruma Kyuzo vão em um pequeno barco até a ilha. A mansão do governador fica na sombra do velho salgueiro e a ilha é cheia do coaxar de sapos. OS guardas imperiais usam o brasão de uma família que os dois samurais não conhecem. O Governador Imperial Miya Tetsua os recebe cordialmente e manda que um dos seus guardas, Kaeru Masatoshi, vá com eles escoltar os prisioneiros até a prisão do Magistrado Esmeralda local.


No lado da margem pertencente ao Unicórnio, Shinjo visita o Magistrado local do clã, Ide Takiyo, informando-o de sua missão e pedindo que este lhe forneça cinco cavalos para seu grupo seguir até Khanbulak.

Enquanto isso, Hida e Hiruma levam os três prisioneiros até a propriedade do Magistrado Esmeralda Kitsuki Kenji. Esse convida Shinjo e os outros para jantarem com ele à noite.

Após almoçarem em um restaurante, convidados por Shinjo, e comerem carne, no estilo da culinária dos Unicórnio, os dois samurais do Caranguejo passeiam pelo mercado da cidade. Hiruma percebe um garoto que roubou uma galinha de uma mercadora e o pega. Hida repreende o garoto e lhe dá uns tabefes e depois de fazer ele prometer não roubar mais, o solta.

Ao anoitecer, eles visitam o Magistrado Kitsuki Kenji. Shinjo expressa interesse e curiosidade no método investigativo da família do Dragão. Kitsuki dá mais alguns detalhes sobre a missão de Shinjo e dos outros em Khanbulak.

Um membro do clã Garça, da família Daidoji, foi preso em Khanbulak, acusado de se encontrar com gaijins dentro das muralhas da cidade após o anoitecer. Na mesma noite um dos guardas da cidade foi morto e a suspeita caí sobre o membro da Garça.

Além disso, dois samurais da Garça passaram pela cidade dois dias antes e pegaram um barco em direção à Khanbulak. Os dois eram da família Kakita, conhecida por seus duelistas. Kakita Toshimoko e Kakita Yukami – essa última tinha sido a ganhadora do Torneio de Topázio no ano anterior ao que Shinjo venceu.

Eles resolvem partir assim que o dia amanhecer, esperando chegar antes dos samurais da Garça. Assim, aos primeiros raios de Amaterasu, eles partem. Hiruma percebe que o garoto do mercado os observa partir, informando a alguém sobre eles.

O grupo imprime um ritmo forte, cavalgando o máximo que os cavalos aguentam. Em quatro dias eles conseguem cobrir a distância entre Sapo Rico e Khanbulak. A cidade de tendas se ergue à frente dos cinco samurais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s